Podemos ter Paz com Deus?

image

Sabemos que justificação resulta em santificação, não o contrário. Mas é normal que no nosso dia-a-dia nos esqueçamos disto e agirmos como se fosse o contrário, santificação resulta em justificação. Passamos a buscar estar em paz com Deus, como se fosse algo que dependesse de nós, algo conquistado por nossos esforços. Ao menos comigo foi assim.

Mas podemos realmente ter paz com Deus por nossos próprios esforços? Já falamos neste artigo sobre a condição do homem diante de Deus. Somos pecadores por natureza, nosso coração é cheio de desejos maus. Nada que façamos pode nos garantir paz com Deus, Ele é justo, a única certeza que temos por nossas obras é a ira de Deus (Rm 1.18, Rm 3.5). Assim, termos paz com Deus não é algo que possamos alcançar. Ao menos não por nós mesmos.

Mas o Senhor Jesus, que é o  Príncipe da Paz, em sua vida e morte provou, na verdade satisfez e cumpriu toda a justiça e ira de Deus por nós. Isso nos garante vida, salvação, comunhão com Deus e também paz com Deus! Rm 5.1, Rm 14.17, Cl 3.15.

Jesus é a nossa paz com Deus. É verdade que podemos ficar tristes pelos nossos pecados, na verdade isso é um sinal da presença de Deus em nossas vidas, a contrição pelo pecado. Mas não devemos pensar que precisamos fazer algo para compensar nossos erros e assim recuperar a paz com Deus, pelo contrário! Parte da nossa contrição deve ser pois apesar de termos paz com Deus ainda continuamos a pecar, a quebrar a lei de Deus!

Que vivamos sabendo disso, irmãos! Jesus é a nossa paz com Deus! O próprio fruto do Espírito é paz! Fruto gerado no cristão após o novo nascimento. Deixe-me dizer novamente para que você possa entender: Jesus é a nossa paz com Deus! Repeti isso para mim mesmo várias vezes até entender! Se for necessário, faça o mesmo! Isso aqui não é auto-ajuda, não estou vendendo uma ideia para você vencer na vida, ou algo do tipo! Não! É uma verdade bíblica, é o que Jesus conquistou para nós na cruz! Ef 2.14.

Já que ele é a nossa paz, que vivamos assim. Sabendo que não precisamos buscar a paz, pelo contrário, devemos viver com a confiança dessa paz. Fazendo tudo para a glorificação de Deus, I Co 10.31.

Podemos ter Paz com Deus?

Não Siga o Seu Coração

Esse artigo é mais uma tradução do blog Desiring God. Artigo original aqui.

“Siga o seu coração” é um credo abraçado por bilhões de pessoas. É uma afirmação de fé em um dos maiores mitos da cultura pop do mundo ocidental; um evangelho proclamando em muitas de nossas histórias, filmes e músicas.

Essencialmente, é uma crença de que seu coração é uma bússola dentro que você que lhe direcionará para o seu verdadeiro destino, se você tiver a coragem de segui-lo. Ela diz que seu coração é um guia verdadeiro que lhe levará à felicidade verdadeira se você tiver coragem de ouvi-lo. A crença diz que você esta perdido e que seu coração lhe salvará.

Esta crença pode soar tão simples e linda e libertadora. Para pessoas perdidas é um evangelho tentador a se acreditar.

É esse o líder que você quer seguir?

Até que você considere que seu coração tem tendências sociopáticas. Pense sobre isso por um momento. O que seu coração lhe diz?

Por favor, não responda.  Seu coração provavlemente disse coisas hoje que você não quererá repetir. Sei que o meu tem. Meu coração fala que todo tipo de realidade deve servir aos meus desejos. Também gosta de pensar o melhor de mim e o pior dos outros – a menos que esses outros pensem bem de mim, então eles são pessoas maravilhosas. Mas se eles não pensam bem de mim, ou até mesmo se discordam de mim, bem, então, há algo errado com eles. E enquanto meu coração está ponderando minhas virtudes e os erros de outros, ele pode achar um pensamento imoral ou horrivelmente irritante muito atrativo.

A crença “siga o seu coração”  certamente não é encontrada na Bíblia. Na verdade, a Bíblia diz que nosso coração tem uma doença: “O coração é mais enganoso que qualquer outra coisa e sua doença é incurável. Quem é capaz de compreendê-lo?” (Jeremias 17:9). Jesus, o grande médico, lista os severos sintomas desta doença: “Pois do coração saem os maus pensamentos, os homicídios, os adultérios, as imoralidades sexuais, os roubos, os falsos testemunhos e as calúnias” (Mateus 15:19). Essas não são qualidades de um líder.

A verdade é que, ninguém mente tanto para nós quanto nossos próprios corações. Ninguém. Se eles são bússolas, são a bússola do Jack Sparrow. Não nos contam a verdade, apenas nos contam o que queremos ouvir. Se são guias, eles são como a Gothel. Eles não são benevolentes, são patologicamente egoístas. De fato, se fizermos o que nossos corações dizem para fazermos iremos perverter e empobrecer cada desejo, cada beleza, cada pessoa, cada maravilha, cada alegria. Nossos corações querem consumir estas coisas para nossa própria glória e auto-indulgência.

Não, nossos corações não vão nos salvar. Pelo contrário, precisamos ser salvos dos nossos corações.

Este é o Líder que Você quer Seguir

Nossos corações não foram feitos para serem seguidos, mas para serem liderados. Não foram feitos para serem deuses em quem acreditar; foram feitos para acreditar em Deus.

Se fizermos nossos corações de deuses e pedirmos a eles para nos liderarem, eles nos levarão à miséria narcisística e condenação final. Eles não podem nos salvar, pois o que está errado com os nossos corações é o coração do problema. Mas se nossos corações acreditam em Deus, como foram criados para, então Deus nos salva (Hebreus 7.25) e leva nossos corações à alegria plena (Salmo 43.4).

Portanto, não acredite em seu coração; direcione seu coração a acreditar em Deus. Não siga seu coração; siga a Jesus. Note que Jesus não disse aos seus discípulos, “não se perturbe o coração de vocês, apenas acreditem em seus corações” Ele disse, “”Não se perturbe o coração de vocês. Creiam em Deus; creiam também em mim.” (João 14:1)

Então, mesmo que seu coração queira guiar você hoje, não o siga. Ele não é um pastor. Ele é uma ovelha pomposa que, devido ao pecado, tem algumas características de lobo. Não o siga, e tenha cuidado até de ouvi-lo. Lembre-se, seu coração apenas diz a você o que você quer ouvir, não aonde você deveria ir. Então ouça-o apenas para anotar o que ele está dizendo sobre o que você quer e então pegar seus desejos, bons e maus, e levá-los a Jesus, os maus como confissões e os bons como pedidos.

Jesus é o seu pastor, (Salmo 23; João 10). Ouça sua voz e sua palavra e siga-o (João 10.27). Deixe ele ser, nas palavras de um hino, o “coração do seu próprio coração não importa o que aconteça”. Ele é a verdade; Ele é o caminho e Ele te levará à vida. (João 14.6).

Não Siga o Seu Coração

A alma que pecar, essa morrerá

Ou na NVI, que é a versão que geralmente uso aqui, “aquele que pecar é que morrerá” (Ez 18.20). Que verdade terrível. Não é aquele que pecar muito, nem aquele que pecar a vida toda. Ou aquele que cometer um tipo específico de pecado, ou aquele que repete muito o mesmo pecado. Não! É aquele que pecar! Pensando sobre a justiça de Deus e o quanto sou pecador, imagino-me prostrado, nu, com a espada do juízo de Deus me atravessando, afinal, para onde fugiria eu do Senhor? (Sl 139.7)

Gostaria de neste post falar um pouco sobre a pecaminosidade do homem e, se possível, arrancar a imagem que temos de que somos bons, ou justos, ou até mesmo que merecemos a salvação. Davi, entendeu bem isto e escreveu:

Pois eu mesmo reconheço as minhas transgressões, e o meu pecado sempre me persegue. Sl 51.3

Contra ti, só contra ti, pequei e fiz o que tu reprovas, de modo que justa é a tua sentença e tens razão em condenar-me.
Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe. Sl 51.4,5

Agora, nossas desculpas começam a se esvair perante Deus. Pois já nascemos debaixo de pecado, em Gênesis 6 vemos um relato onde Deus fala que tudo que o homem deseja é voltado para o mal, Gn 6.5. Tudo que o homem faz é mal, seus desejos são voltados para o pecado, suas intenções são pecaminosas. E Deus é Santo.

A origem da palavra santo significa separado do uso comum, Deus está muito acima da humanidade, é verdade que Ele a tudo criou e é imanente em toda a sua criação, não é que Deus esteja em tudo e tudo seja Deus. Mas é como os anjos disseram na visão do profeta Isaías, que trataremos mais tarde, toda a terra está cheia da glória do Senhor. O padrão que Deus estabelece é muito alto. A lei moral de Deus está estabelecida através dos Dez Mandamentos, lá Deus mostra o que Ele requer da humanidade, mas mesmo antes a humanidade desafiou a Deus. Desde Adão e Eva. Satanás enganou a Eva dizendo que ela seria igual a Deus, e o pecado nada mais é do que isso. Achar que somos suficientes em nós mesmos, o pecado é um ato de rebeldia e arrogância diante de Deus, quando peco estou dizendo a Deus que não preciso d’Ele, ah, irmãos, como isso me dói! Saber o quão pecador eu sou, o quão podre sou. E Deus ainda assim tem o seu padrão, pois Ele é justo, Deus é o Juiz Justo por excelência! Ora e Deus sendo justo, não pode condenar o ímpio com o justo.

Absolver o ímpio e condenar o justo, são coisas que o Senhor odeia. Pv 17.15

E, “se ao justo é difícil ser salvo, que será do ímpio e pecador? “ I Pe 4.18

O Senhor prova o justo, mas o ímpio e a quem ama a injustiça, a sua alma odeia. Sl 11.5

E como esse último texto é ainda mais severo, Deus odeia o ímpio! Ora, “Deus ama o pecador e odeia o pecado”! Mentira! Deus odeia o pecador! Sim, Deus odeia o pecador, isso mesmo. Ainda mais um texto:

Diz o tolo em seu coração: “Deus não existe”. Corromperam-se e cometeram atos detestáveis; não há ninguém que faça o bem.
O Senhor olha dos céus para os filhos dos homens, para ver se há alguém que tenha entendimento, alguém que busque a Deus.
Todos se desviaram, igualmente se corromperam; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer. Sl 14.1-3

Paulo repete esse texto em Romanos 3.10-12. Todos se perderam, nenhum faz o bem, são todos pecadores e Deus odeia a todos. Como disse Jonathan Edwards, a ira de Deus está pronta para ser derramada sobre a humanidade! Duvido muito que alguém tenha coragem de se justificar, ou de procurar mostrar méritos diante de Deus. Todas nossas obras de justiça são como trapos de imundícia diante de Deus, Is 64.6. Trapos de imundícia eram as roupas sujas da mulher durante a menstruação, que de acordo com a lei cerimonial de Israel, era considerada impura, diante de Deus. O que Isaías viu é que o nosso melhor ainda é sujeira diante de Deus, pois nós somos sujos. Uma pessoa que esteja suja de lama, aonde tocar sujará de lama, assim somos nós, sujos no lamaçal de nossos pecados! Mesmo em nossos melhores dias, tudo o que fazemos é quebrar a lei de Deus.  Não há com o que se defender, não há para onde fugir, os olhos de Deus estão em toda a terra. Ele é o justo juiz a quem todos prestarão contas um dia. E como nós devemos, sim, nossa dívida é imensa diante de Deus. É uma vida cheia de pecados, cheia de sujeira, cheia de imoralidade. Que pode até passar impune nesta vida, mas um dia todos prestarão contas diante de Deus.

Para terminar, gostaria de deixar um texto aqui, que é o que aconteceu com o profeta Isaías quando teve uma visão do Senhor:

No ano em que o rei Uzias morreu, eu vi o Senhor assentado num trono alto e exaltado, e a aba de sua veste enchia o templo.
Acima dele estavam serafins; cada um deles tinha seis asas: com duas cobriam o rosto, com duas cobriam os pés, e com duas voavam.
E proclamavam uns aos outros: “Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos, a terra inteira está cheia da sua glória”.
Ao som das suas vozes os batentes das portas tremeram, e o templo ficou cheio de fumaça.
Então gritei: Ai de mim! Estou perdido! Pois sou um homem de lábios impuros e vivo no meio de um povo de lábios impuros; e os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos! “ Is 6.1-5

Quando um bom rei de Judá morreu, talvez Isaías estivesse preocupado em quem governaria a nação, seria um rei injusto? Seria um rei temente a Deus? Mas ele teve a visão do Rei dos Reis em seu trono. E logo após clama um contra si mesmo, o ai era uma pronunciação do juízo de Deus sobre alguém dado por um profeta, contra uma pessoa, um povo, uma nação. Mas Isaías clamou para si, ele se percebeu pecador, sem nada a oferecer a Deus. Ele se sentiu perdido, clamou maldição a si mesmo! Viu seu pecado e viu que estava arrodeado de pecadores. Este é um dos retratos mais vívidos de consciência de pecados e conversão de pecador na Bíblia! Sim, Deus salva pecadores. Como disseram os irmãos reformados, Sola Gratia, ou somente a Graça. Ou como Paulo escreve citando Habacuque, o justo viverá pela fé. Eis a esperança de pecadores miseráveis do favor de um Deus que não lhes deve nada. Mas como é este favor? Afinal, aquele que pecar é esse que morrerá! Bem, discorreremos sobre isso no próximo post, Sola Gratia ou, o justo viverá pela fé.

A alma que pecar, essa morrerá

Uma imagem moderna sobre Deus

Nessa artigo, meus irmãos gostaria de discorrer um pouco sobre a imagem de Deus que muitas pessoas tem, independente de suas denominações, é verdade que essa imagem é bastante forte entre os carismáticos, mas não penso ser apenas com eles. Após isto, gostaria de contrastar com a Bíblia. Então, vejamos algumas dessas características:

Deus seria incoerente

Isso mesmo, Deus parece ser incoerente.  Mas por quê? A Bíblia é a revelação de Deus, onde nós aprendemos sobre o caráter de Deus e o que Deus requer de nós, Mq 6.8. Sabemos ainda que ela é inspirada por Deus, para tornar o homem de Deus perfeito II Tm 3.16, 17. (Apesar de que nesse texto, Paulo se referia apenas ao Antigo Testamento, que era o que estava escrito na época de Timóteo, mas por fé, entendemos que o Novo Testamento também é inspirado e é a Palavra de Deus revelada a nós).

Ora, mas até aí, nenhuma incoerência! Justamente, a incoerência esta no fato de Deus ter revelado sua Palavra a nós, para nos conduzir à santidade, para lhe emularmos o caráter e alguns cristãos acreditam ainda que Deus ainda fala através de pessoas hoje em dia, entregando novos oráculos e revelações. Eis a incoerência, se Deus usou seus servos para nos transmitirem sua Palavra expressa e concluiu essa obra, é por que para Deus a obra estava perfeita e mais do que suficiente, pois sabemos que em Deus não há engano (Nm 23.19), afinal, não fosse a Bíblia suficiente, poderíamos atribuir má fé e engano a Deus, mas Deus é santo e n’Ele não há engano. Logo, sua Palavra é mais do que suficiente para guiar o homem durante toda sua vida. Portanto, se Deus deu sua revelação como encerrada, como Ele ainda se revelaria hoje em dia? Um dos lemas da reforma protestante é Sola Scriptura, que significa a suficiência das Escrituras, nela podemos encontrar tudo o que precisamos para viver nossas vidas. Então, alguns cristãos até confessam nominalmente a suficiência das Escrituras, mas ao buscar oráculos além delas, negam-lhe a suficiência, e na verdade, a incoerência está neles.

Deus não é Soberano

Esse, também é bem recorrente. A expressão máxima dele é “vontade permissiva de Deus”, ou seja, Deus não queria que algo acontecesse, mas permitiu. Essa figura parece mais a do pai condescendente do que a de um Deus Soberano que está acima de tudo e de todos. Ora, Jó afirma que Deus pode tudo, isto é, é Todo-Poderoso, e que nenhum de seus propósitos pode ser impedido, Jó 42.2.  Ainda, Deus faz tudo o que lhe agrada, Sl 115.3. Deus é imutável, sabe tudo, inclusive todo o futuro e cumpre todos os seus propóstos, Is 46.9,10.  Isto também contraria o teísmo aberto, no qual Deus não sabe o futuro. Muito pelo contrário, Deus é Soberano, mas as pessoas parecem não entender o que isso significa, significa que Deus é Rei acima de tudo e de todos e que sua vontade é absoluta, Sl 103.19, Sl 135.6, Pv 19.21, Pv 21.30. E por último, Salomão ainda afirma que Deus criou tudo de acordo com o seu propósito, até o perverso para o dia da calamidade, ou o ímpio para o dia do castigo, Pv 16.4. Ora, ainda há muitos mais textos na Bíblia afirmando a soberania de Deus! E veja que Deus grande e glorioso é o que nos salvou e redimiu! Glória ao seu nome, afinal, para Ele são todas as coisas, Rm 11.36. Logo, tudo que ocorre é de acordo com a expressa vontade de Deus, nada acontece fora de sua vontade ou desígnios soberanos. Uma música do cantor João Alexandre se refere a Deus como um tapeceiro e a vida como uma obra de tapeçaria, ora, Deus é o tapeceiro e que faz a obra como sua vontade e de forma com que lhe agrade! Aleluia! Quão imenso é este Deus!

Portanto, irmãos sigamos em dedicação à leitura da Bíblia, pois é através dela que aprendemos sobre Deus, este Deus tremendo conforme acabamos de ver e aprendemos também o que Ele requer de nós.

Uma imagem moderna sobre Deus

Jesus veio para consertar o que se havia quebrado

Caniço-de-água

Amados, gostaria de falar um pouco sobre um texto das Escrituras. O texto é este:

“Eis o meu servo, a quem sustento, o meu escolhido, em quem tenho prazer. Porei nele o meu Espírito, e ele trará justiça às nações.
Não gritará nem clamará, nem erguerá a voz nas ruas.
Não quebrará o caniço rachado, e não apagará o pavio fumegante. Com fidelidade fará justiça;” – Is 42:1-3

Aqui, vemos o profeta Isaías profetizando sobre o Senhor Jesus, gostaria de dar uma atenção especial ao versículo 3. Vemos que o autor fala que o servo do Senhor, Jesus, não quebrará o caniço quebrado. Algumas versões chamam de cana, essa planta é uma espécie de bambu, comum naqueles tempos em Israel, quando quebrada não servia pra mais nada, só pra ser jogada fora. Então, ao profeta afirmar que Jesus não esmagaria a cana quebrada, está dizendo que o Senhor Jesus trabalha consertando o que está quebrado, não jogando fora.

Sobre o pavio que fumega, ou seja, está quase apagando, Jesus não apagaria, mas Ele sopra dando vida, conforme vemos em Gn 2.7, Deus soprou no homem dando-lhe vida e em Jo 20.22, Jesus soprou sobre seus discípulos para que Eles recebessem o Espírito Santo. Quando Deus sopra, ele traz vida. Mesmo que o pavio esteja fumegando, espere em Deus, pois Ele pode te dar vida, afinal, o nosso Deus é um Deus vivo e que está vendo seus servos:

“Este foi o nome que ela deu ao Senhor que lhe havia falado: “Tu és o Deus que me vê”, pois dissera: “Teria eu visto Aquele que me vê? “
Por isso o poço, que fica entre Cades e Berede, foi chamado Beer-Laai-Roi.” – Gn 16:13-14

O nome do poço traduzido para português é Deus é vivo e me vê, o nosso Deus é vivo e quer que seus servos tenham vida em abundância, Jo 10.10.

Então, amado, espere em Deus, pois, como nos mostra o salmo 40:

“Coloquei toda minha esperança no Senhor; ele se inclinou para mim e ouviu o meu grito de socorro.
Ele me tirou de um poço de destruição, de um atoleiro de lama; pôs os meus pés sobre uma rocha e firmou-me num local seguro.
Pôs um novo cântico na minha boca, um hino de louvor ao nosso Deus. Muitos verão isso e temerão, e confiarão no Senhor.
Como é feliz o homem que põe no Senhor a sua confiança, e não vai atrás dos orgulhosos, dos que se afastam para seguir deuses falsos!
Senhor meu Deus! Quantas maravilhas tens feito! Não se pode relatar os planos que preparaste para nós! Eu queria proclamá-los e anunciá-los, mas são por demais numerosos!” – Sl 40:1-5

Jesus veio para consertar o que se havia quebrado

O louvor

(Post editado em 27/08/2012)

Amados, um assunto que me intriga em muito é a música na igreja. A música faz parte do louvor à Deus, mas o que vem a ser louvor? Segundo o mini Aurélio, louvor significa “elogio, glorificação, exaltação”.  Vejamos alguns exemplos de pessoas louvando a Deus no Antigo Testamento:

Davi louvou o Senhor na presença de toda a assembléia, dizendo: “Bendito sejas, ó Senhor, Deus de Israel, nosso pai, de eternidade a eternidade. I Cr 29.10

Com louvor e ações de graças, cantaram responsivamente ao Senhor: “Ele é bom; seu amor a Israel dura para sempre”. E todo o povo louvou ao Senhor em alta voz, pois haviam sido lançados os alicerces do templo do Senhor. Ed 3.11

Então o mistério foi revelado a Daniel de noite, numa visão. Daniel louvou o Deus dos céus. Dn 2.19

Esdras louvou o Senhor, o grande Deus, e todo o povo ergueu as mãos e respondeu: “Amém! Amém! ” Então eles adoraram o Senhor, prostrados, rosto em terra. Ne 8.6

Davi instituiu o cântico na liturgia cultual e serviço dos levitas no Templo (na verdade, eles começaram no Tabernáculo, conforme o versículo 31 da referência a seguir, pois o Templo só foi construído por Salomão), I Cr 6.31, 32.

O livro de Salmos é um livro de cânticos, muitos dos quais feitos por Davi, ou seja, o livro de Salmos contém músicas que eram utilizadas para louvar a Deus. No Novo Testamento em Ef 5.19 e Cl 3.16 Paulo fala sobre cantar salmos, hinos espirituais, então o louvor faz parte também da liturgia cultual do Novo Testamento, não somente do culto, mas da vida do cristão.

Tendo isso em mente, gostaria de chamar à atenção muitas das músicas cantadas hoje como cânticos congregacionais. Primeiro, já vimos, de acordo com o dicionário o que é louvor e exemplos de louvores no Antigo Testamento, então se louvor é elogio, quando louvo a Deus, tenho de elogiá-lo, atribuir-lhe glória, honra e majestade. Então, devemos ter o cuidado de selecionar músicas que louvem a Deus, músicas cristocêntricas, ora, o cristianismo é cristocêntrico e, se louvo a Deus, não posso falar de mim, ficar pedindo bens materiais, fazer os tão conhecidos “movimentos” (I Co 13.11, onde Paulo fala sobre esse assunto). O louvor deve ser dirigido a Deus, atribuindo-lhe majestade, honra, glória, reino eterno, tributo. E não são poucos os exemplo que temos de músicas que não fazem isso, além de passarem mensagens errôneas quando confrontadas com as Santas Escrituras (ora, “Pois nada podemos contra a verdade, mas somente em favor da verdade.” – II Co 13.8), vejamos trechos de algumas:

“Restitui eu quero de volta o que é meu.” O que é o homem para tentar dar ordens ao Criador? Rm 9.20

“Entra na minha casa, entra na minha vida”. Ora, quando o homem aceita a Jesus, o Senhor passa a fazer morada na vida dele, então se o cantor pede que Deus entre em sua vida é porque Deus ainda não fazia parte. Vejamos que Zaqueu se converteu e Jesus disse que a salvação chegou também àquela casa, Lc 19.9.

“Remove a minha pedra, me chama pelo nome… ressuscita-me”  “Disse Jesus: Tirai a pedra. Marta, irmã do defunto, disse-lhe: Senhor, já cheira mal, porque é já de quatro dias.” Jo 11.39. Vemos que o Senhor manda retirar a pedra, ele não retirou a pedra. Nós não estamos mais mortos, Cristo nos deu vida e vida em abundância, Jo 10.10; Rm 6.4; Cl 3.4.

Ainda temos as músicas cujo intuito é de apenas emocionar as pessoas, falando de termos “pentecostais” dos quais já ouvi: caneta de fogo, papel de mistério, esse manto é forte. Músicas que também não louvam a Deus e são apenas o fruto de imaturidade espiritual, afinal o intuito do louvor é também demonstrar o nosso amor a Deus, que é ainda mais importante que dons espirituais. Como o apóstolo Paulo fala em I Co 12.31, referindo-se ao amor como um caminho mais excelente. Sobre a imaturidade espiritual, I C0 13.11, onde Paulo diz: Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. Então ofereçamos o nosso culto racional a Deus, Rm 12.1 (ACF). Pois o cristão não é guiado por movimentos, ele é guiado por Deus e sua Santa Palavra:

Assim diz o SENHOR, o teu Redentor, o Santo de Israel: Eu sou o SENHOR teu Deus, que te ensina o que é útil, e te guia pelo caminho em que deves andar. Is 48.17 (Almeida Corrigida e Revisada Fiel)

Ele mostrou a você, ó homem, o que é bom e o que o Senhor exige: Pratique a justiça, ame a fidelidade e ande humildemente com o seu Deus. 
Miquéias 6:8

Existem ainda tantos outros exemplos que não são de fato louvores a Deus, contudo, mantenha-mo-nos louvando ao nosso Deus e deixando de lado toda e qualquer música que não vise glorificar o nosso Rei e sua majestade, honra, glória, domínio e poder eterno. Amém.

 

O louvor